Relatório CRS e FATCA 2024: Perspectivas e Estratégias

Saiba mais sobre as atualizações e mudanças, desafios comuns e o papel central da tecnologia na simplificação da conformidade.

Relatório CRS e FATCA 2024: Perspectivas e Estratégias

O início da temporada de relatórios de 2024 marca um período crítico para as instituições financeiras em todo o mundo, à medida que navegam pelas complexidades do cumprimento do Common Reporting Standard (CRS) e do Foreign Account Tax Compliance Act (FATCA). Estes regulamentos, concebidos para combater a evasão fiscal e promover a transparência nas transacções financeiras, impõem requisitos rigorosos de comunicação. 

À medida que os regulamentos financeiros internacionais evoluem, manter-se atualizado sobre estas alterações não é apenas uma questão de conformidade legal, mas também de importância estratégica para as instituições financeiras. As implicações do CRS e da FATCA vão para além da mera comunicação; influenciam as práticas operacionais, as relações com os clientes e a infraestrutura tecnológica. 

O nosso debate abrangerá as mais recentes actualizações regulamentares, os desafios comuns em matéria de comunicação, o papel fundamental da tecnologia na conformidade, as melhores práticas para uma comunicação eficaz e uma perspetiva de futuro sobre a conformidade financeira internacional. Ao compreender essas áreas-chave, as instituições financeiras podem se preparar melhor para as demandas da temporada de relatórios de 2024 e além. 

Quais são as actualizações e alterações no CRS e na FATCA para 2024?

A temporada de relatórios CRS e FATCA de 2024 apresenta várias atualizações significativas das quais as instituições financeiras devem estar cientes. Por exemplo, quatro jurisdições comprometeram-se com a sua primeira troca de CRS este ano. São elas a Geórgia, o Quénia, a Moldávia e a Ucrânia. 

Estas alterações reflectem os esforços contínuos dos organismos reguladores para aperfeiçoar e melhorar a eficácia do cumprimento das obrigações fiscais internacionais. Um dos principais desafios na adaptação a estas alterações consiste em assegurar que os sistemas e procedimentos internos são suficientemente flexíveis e robustos para as acomodar. Isto pode implicar o investimento em novas tecnologias, actualizações de software ou a revisão dos fluxos de trabalho de conformidade existentes. A não adaptação a estas alterações pode resultar em incumprimento, o que acarreta riscos financeiros e de reputação significativos. 

Regulatory Compliance

 

Quais são os desafios comuns nos relatórios CRS e FATCA?

Navegar pelos relatórios CRS e FATCA é muitas vezes um desafio devido à complexidade e diversidade de requisitos em diferentes jurisdições. 

Identificação de contas a reportar 

Um desafio comum é identificar e classificar com exatidão as contas a declarar, o que implica compreender e aplicar vários critérios definidos por várias autoridades fiscais. Este processo é ainda mais complicado pela necessidade de lidar com grandes volumes de dados, muitas vezes provenientes de fontes díspares.  

Exatidão dos dados 

Outro desafio significativo é garantir a exatidão e a integridade dos dados. Dados inexactos ou incompletos podem levar ao incumprimento, resultando em sanções e danos para a reputação. As instituições financeiras devem estabelecer processos sólidos de recolha, verificação e gestão de dados. Isto implica frequentemente uma coordenação entre departamentos e uma compreensão clara dos requisitos de dados estabelecidos pelos regulamentos CRS e FATCA.  

Actualizações de regulamentos 

Além disso, manter-se atualizado com o panorama regulamentar em constante mudança é um desafio contínuo. Os regulamentos são actualizados com frequência e são emitidas regularmente novas orientações. Isto exige que as instituições financeiras mantenham uma abordagem dinâmica à conformidade, com revisões e actualizações regulares dos seus processos de comunicação. A implementação de uma cultura de conformidade em toda a organização e a garantia de que todo o pessoal conhece as suas responsabilidades são cruciais para enfrentar estes desafios. 

Como é que a tecnologia pode ser utilizada para simplificar a conformidade?

No domínio da conformidade com o CRS e a FATCA, a tecnologia é um fator de mudança. As soluções fintech avançadas, como as fornecidas pela Trans World Compliance (TWC), simplificam e automatizam muitos aspectos do processo de comunicação, reduzindo a probabilidade de erro humano e melhorando a eficiência geral. Ao tirar partido da tecnologia, as instituições financeiras podem navegar mais facilmente pelas complexidades dos relatórios CRS e FATCA.   

As ferramentas tecnológicas essenciais incluem sistemas automatizados de recolha de dados, que podem agregar e organizar dados de várias fontes, e software de validação, que garante que os dados cumprem as normas exigidas de exatidão e integridade. As ferramentas de comunicação podem então formatar estes dados de acordo com os requisitos específicos das diferentes jurisdições, um processo que seria incrivelmente moroso e propenso a erros se fosse efectuado manualmente.  

O princípio da TWC de simplicidade na conceção do software significa que oferecemos soluções que desmistificam o processo de conformidade. Ao automatizar tarefas complexas com transacções totalmente seguras, o nosso software reduz o esforço manual exigido nos relatórios CRS e FATCA. Esta abordagem não só simplifica o processo de conformidade, como também minimiza o potencial de erro humano, um fator crítico para manter a precisão e a fiabilidade dos relatórios.
 

How can technology be used to simplify compliance?

 

Quais são as melhores práticas para os relatórios CRS e FATCA em 2024?

A apresentação eficaz de relatórios CRS e FATCA em 2024 começa com uma preparação atempada e completa. As instituições devem iniciar o seu processo de reporte muito antes dos prazos para garantir tempo suficiente para a recolha de dados, verificação e resolução de discrepâncias. Esta abordagem proactiva pode reduzir significativamente as pressões de última hora e os potenciais erros.  

As revisões e actualizações internas regulares dos processos de conformidade também são fundamentais. Isto inclui manter-se informado sobre os últimos desenvolvimentos regulamentares, garantir que todos os sistemas de comunicação estão actualizados e realizar sessões de formação para o pessoal envolvido no processo de comunicação. Um aspeto vital deste processo é a promoção de uma cultura de conformidade na organização, em que cada membro da equipa compreende a importância do seu papel no processo de comunicação.  

A realização de auditorias internas é outra prática eficaz. Estas auditorias podem identificar potenciais lacunas de conformidade e áreas a melhorar no processo de comunicação. Ao simular o processo de auditoria externa, as instituições podem preparar-se melhor para auditorias regulamentares reais e reduzir a probabilidade de incumprimento. Além disso, a procura de feedback de especialistas externos ou de instituições congéneres pode fornecer informações valiosas e melhores práticas que podem ser adoptadas. 

Leia o nosso blogue sobre as melhores práticas para os relatórios CRS e FATCA.  

Como é o XML do Canadá, Curaçao e Luxemburgo?

O Common Reporting Standard (CRS) não é comum nem normalizado para os relatórios nacionais. Um grupo financeiro que tenha de efetuar declarações em várias jurisdições será confrontado com diferentes requisitos locais. O Canadá, Curaçau, Aruba e Luxemburgo são notáveis pelas suas distintas regulamentações financeiras e abordagens de reporte. Compreender os requisitos específicos e os cenários legais destas regiões é essencial para uma comunicação e conformidade precisas. 

No caso do Canadá, o XML tem de incluir um invólucro T619; no caso de Curaçau, num único XML, as instituições financeiras podem utilizar os códigos FATCA e CRS; e no caso do Luxemburgo, é necessário conhecer o fornecedor de que necessita para a apresentação e adicionar outras informações específicas no invólucro. Já para não falar dos Países Baixos, onde o esquema XML está em neerlandês. 

O Canadá tem um <XML> único que inclui um "invólucro" para todos os relatórios fiscais electrónicos (um elemento <T619>), que inclui o XML FATCA e CRS e deve conter informações sobre o transmissor. A informação sobre a conta no XML também difere do esquema CRS "normal". 

Canada XMLCuraçao utiliza o portal MDES para os seus dados CRS e FATCA - o mesmo XML para o FATCA e o CRS, utilizando o TIN e o GIIN locais para a comunicação. E é possível misturar e combinar códigos FATCA e CRS num único XML. 

Curaçao XMLNo Luxemburgo, adoram estruturas complexas. Só o registo do nome para a apresentação do XML tem uma estrutura obrigatória complicada. Em seguida, a instituição financeira deve cumprir as estruturas obrigatórias, usando HL, HF, RF, SP, IN, AR ou PR no <AEOI_RefId> <MessageRefId> e <DocRefId>, dependendo do tipo de relatório.   

Luxembourg XMLA nossa solução CRS/FATCA One pode ser configurada com a sua informação Canada T619 e lidar com a diferença do esquema CRS "normal". Também podemos misturar e combinar códigos FATCA e CRS num único XML.  

Se não faz ideia do que estamos a escrever ou se tem dúvidas quanto à gestão desta questão, não hesite em contactar-nos para obter uma demonstração ou um teste gratuitos. Ainda não mencionámos o declarante, o declarante e o identificador da AEOI! 

Quais são os prazos de comunicação do CRS e da FATCA para 2024?

Tenha em atenção que estes prazos estão sujeitos a alterações por parte da autoridade fiscal local. 

Janeiro  

As Honduras devem apresentar a declaração FATCA no dia 31 de janeiro.  

Março 

Até 31 de março, Curaçau e Belize devem comunicar o CRS e o FATCA, e as Ilhas Turcas e Caicos devem trocar o CRS. Além disso, todos os países modelo 2 IGA e não IGA devem comunicar o FATCA. 

Abril 

Aruba e Japão têm os seus prazos de entrega de SIR a 30 de abril, enquanto Malta tem de comunicar o SIR e a FATCA na mesma data. 

Maio 

O Canadá começa o mês com a obrigação de trocar o CRS e a FATCA no dia 1 de maio. No dia 31 de maio, os seguintes países também têm os seus prazos CRS e FATCA: Bahrein, Ilhas Virgens Britânicas, Anguilla, Índia, Jamaica, Singapura, Espanha, Reino Unido e África do Sul. Para além disso, Portugal, Colômbia, Rússia, Nigéria e Bermudas devem cumprir o CRS até à mesma data. O Equador, por outro lado, tem o seu prazo entre os dias 10 e 28. 

Junho 

Até o final do mês, dia 30 de junho, Argentina, Chile, China, Taiwan e Gana devem informar o CRS. Croácia, Nova Zelândia, Montserrat, Luxemburgo, Jersey, Ilha de Man, Guernsey, Bulgária e Bélgica também devem cumprir o CRS até 30 de junho, bem como o FATCA. Por último, as Ilhas Turcas e Caicos e Santa Lúcia também têm o seu prazo FATCA nesta data. 

Julho 

A Suíça tem o seu CRS a 11 de julho e a Bélgica a 20 de julho. A Colômbia tem o seu prazo FATCA a 27 de julho e Portugal a 31 de julho. Até 31 de julho, a Austrália, as Ilhas Caimão, a Costa Rica, a França, a Alemanha, Gibraltar, o Liechtenstein, as Maurícias, o Panamá e São Vicente e Granadinas devem comunicar o CRS e a FATCA. Entretanto, a Áustria, o Paquistão e Santa Lúcia só têm o seu CRS a 31 de julho. 

Agosto 

Os Países Baixos têm de comunicar o CRS e a FATCA até 2 de agosto, Antígua até 15 de agosto, as Baamas até 25 de agosto e o México até 31 de agosto.  

Setembro 

Trinidad tem o seu prazo de apresentação de relatórios CRS e FATCA no dia 15 de setembro. 

World Map

 

Como será o futuro dos relatórios de conformidade?

É provável que o futuro dos relatórios CRS e FATCA assista a um maior rigor regulamentar e a uma maior dependência da tecnologia. À medida que os esforços internacionais para combater a evasão fiscal se intensificam, as instituições financeiras podem esperar uma aplicação mais rigorosa dos requisitos de conformidade. Isto pode incluir requisitos de comunicação mais detalhados, maior frequência de auditoria e sanções mais elevadas em caso de incumprimento.  

As tecnologias emergentes, como a inteligência artificial (IA) e a cadeia de blocos, estão preparadas para transformar significativamente os processos de conformidade. A IA pode melhorar a análise de dados, identificar padrões indicativos de não conformidade e automatizar processos complexos de tomada de decisões. A tecnologia de cadeia de blocos oferece uma forma segura e transparente de armazenar e partilhar informações, ajudando grandemente os esforços de conformidade.  

As instituições financeiras devem investir em soluções de conformidade escaláveis e promover uma cultura de aprendizagem e adaptação contínuas para se manterem à frente neste cenário em evolução. Devem também participar em fóruns e colaborações do sector para se manterem informadas sobre as melhores práticas e as tendências emergentes. Deste modo, podem cumprir a regulamentação atual e estar bem preparadas para futuros desenvolvimentos no domínio da conformidade. 

Conclusão

A temporada de relatórios CRS e FATCA de 2024 apresenta desafios e oportunidades para as instituições financeiras. As instituições podem navegar eficazmente neste cenário complexo compreendendo as mais recentes actualizações regulamentares, abordando os desafios comuns de comunicação, tirando partido da tecnologia e seguindo as melhores práticas. Lembre-se, investir em conformidade não é apenas um requisito regulamentar, mas um imperativo estratégico que pode salvaguardar a reputação e o futuro de uma instituição.

Convidamo-lo a explorar as nossas soluções para simplificar os seus processos de comunicação CRS e FATCA. Para mais informações ou para agendar uma demonstração, entre em contacto connosco. Os seus comentários e questões são sempre bem-vindos, uma vez que nos esforçamos por apoiá-lo neste aspeto vital da conformidade financeira.